Servidores da Prefeitura de Gentio do Ouro reivindicam salários atrasados na justiça:



Ter o salário em dia é um direito inalienável de todo trabalhador, conforme Constituição Federal em seu artigo 7º, inciso X dispõem sobre a proteção do salário, constituído crime a sua retenção dolosa. Não há trâmite burocrático que justifique os atrasos, é algo inaceitável, repugnante e desrespeitoso que qualquer trabalhador não receba seus merecidos proventos, principalmente se levarmos em consideração que tal atitude nefasta põe em risco a subsistência de muitas famílias, pois os servidores são verdadeiros arrimos de família.

Alguns servidores da rede municipal de Gentio do Ouro, insatisfeitos e cansados com o descaso no qual foram submetidos, recorreram ao Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região localizado na cidade de Irecê, para pleitearem seus direito de receberem seus salários atrasados, bem como indenização substitutiva pelo não pagamento do salário-família, férias em dobro simples e proporcionais acrescidas de 1/3, gratificações natalinas integrais e proporcionais, FGTS, indenização do PIS, diferenças de DSR, adicionais de insalubridade e periculosidade e anotação na CTPS.

Ter o salário em dia é um direito inalienável de todo trabalhador, conforme Constituição Federal em seu artigo 7º, inciso X dispõem sobre a proteção do salário, constituído crime a sua retenção dolosa. Não há trâmite burocrático que justifique os atrasos, é algo inaceitável, repugnante e desrespeitoso que qualquer trabalhador não receba seus merecidos proventos, principalmente se levarmos em consideração que tal atitude nefasta põe em risco a subsistência de muitas famílias, pois os servidores são verdadeiros arrimos de família.

Existe também uma enorme insatisfação dos professores gerada pela desigualdade salarial, pois em observância parcial da lei, a Prefeitura de Gentio do Ouro reajustou no mês maio o salário dos professores da rede municipal de ensino com jornada de 40 horas semanais, em R$ 1.451,00 porem o prefeito e candidato a reeleição Ivonilton Vieira (PSD) não levou em consideração a retroatividade até o mês de janeiro exigido por lei para a aplicação do novo reajuste salarial.

Infelizmente em Gentio do Ouro, principalmente os professores ainda encontram raízes amargas para ministrarem o ensino, caracterizado pela desvalorização e a falta de respeito à classe. Muitos servidores prevendo possíveis represálias optam pelo silêncio, do que reivindicar pelos os seus direitos.

Por: Romeu Júnior
Tecnologia do Blogger.