Sítios Arqueológicos - Conexão Gentio do Ouro

Agora

Sítios Arqueológicos

Pintura rupestres

Entre as serras e cânions do município de Gentio do Ouro, pinturas associadas à Tradição Geométrica chamam a atenção por sua diversidade de cores e pelos longos paredões que estão cobertos com as figuras.

Um bom exemplo das pinturas nos paredões de Gentio do Ouro é o sítio de Poções. Na região, as pinturas com traços, ziguezagues e marcações de calendários estendem-se por cerca de 200 a 300 metros entre os cânions.

Pinturas de figuras humanas e animais felinos misturam-se a desenhos de cruzes, semelhantes às da Ordem de Cristo, que indica a conservação da prática da pintura por parte dos grupos indígenas que foram colonizados e convertidos ao catolicismo, durante a exploração portuguesa.

Ainda em Gentio do Ouro, o Sítio do Caldeirão, no povoado de Água Doce, reúne pinturas feitas em paredões de áreas descobertas, com pequenos desenhos geométricos, representações de calendários, animais e algumas figuras humanas.

As pinturas do Caldeirão são caracterizadas por serem compostas de várias cores, predominando o vermelho, o amarelo e o branco.

No Sítio da Cachoeira do Encantado, imagens geométricas, bastonetes, grades, pentes, animais, lanças e cestas são encontrados separados, em ilustrações que datam de cerca de 2.700 anos até 12 mil anos. No local, uma das paredes pintadas sofreu alterações por conta do vandalismo de alguns visitantes e chama a atenção para a necessidade de preservação dos sítios.

A maioria das pinturas rupestres da cidade está localizada no distrito de Santo Inácio, onde também ficam as cachoeiras do Saltão e do Encantado. As pinturas apresentam diversidade de cores e misturam figuras humanas, animais e até cruzes, evidência de que a prática das pinturas foi mantida pelos índios colonizados durante a colonização portuguesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário