INDOLÊNCIA DOS POLÍTICOS DE GENTIO DO OURO


Em repudia a morosidade, a falta de informação e a indolência dos polìticos de Gentio do Ouro, publiquei um comentário no site http://www.jnavozdopovo.com/ para ser divulgado na Radio Cactus Fm de Xiquexique, sobre a morosidade na conclusão da casa do estudante de Gentio do Ouro em Salvador.


Esse projeto foi indicado pelo Vereador Leonardo Gomes da Silva no dia 29/08/2009, tendo como  justificativa de que muitos jovens do Município de Gentio do Ouro resindem de favor em Salvador.


No dia 03/09/2009 o mesmo foi aprovado pela Câmara Municípal de Gentio do Ouro, porém até o momento ainda não saiu do papel.

Ao ser questionado por esse Blog, o Vereador Léo através de mensagem respodeu que estar no aguardo de uma resposta do prefeito Ivonilto Vieira, e que o mesmo tem muito interesse na conclusão deste projeto.

Interesse este do qual os jovens de Gentio do Ouro com preteções académicas aguardam a conclusão a mais de nove meses.







Comentários

  1. Vocês querem que o projeto seja aprovado na câmara e em seguida realizado oficialmente? Que é isso meu caro! As condições do município precisam ser revistas... Se fosse assim todo vereador podia fazer seu projeto, tramitar pela câmara, ser aprovado, sancionado pelo prefeito e já ser realizado. Para com isso, isso não existe, é preciso analisar vários fatores, vários fatos, mesmo que o projeto seja de fundamental importância.

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo, após a Câmara Municipal aprovar um projeto, ele é encaminhado ao Prefeito para que possa sancionar ou vetar o projeto.

    Caso concorde, o prefeito terá 15 dias úteis para se manifestar (sanção expressa) ou permanecer em silêncio. Passado esse prazo, sem manifestação do Prefeito, tem-se sancionado o projeto de lei (sanção tácita).

    Caso discorde, o prefeito também terá o mesmo prazo para vetar o projeto de lei, total ou parcialmente.

    O veto é irretratável e deve ser expresso e fundamentado na inconstitucionalidade do projeto (veto jurídico) ou na contrariedade ao interesse público (veto político). Se o Prefeito não motivar o veto, ou seja, sem explicar o porquê, o veto será inexistente, não será válido e se tem como sancionado o projeto de lei, se passados os 15 dias úteis.

    Vetando o projeto, o prefeito deve comunicar em 48h o Poder Legislativo os motivos que levaram a essa deliberação. Cabe à Câmara analisar os motivos/razões do veto em 30 dias a contar do recebimento do projeto. Discordando desses motivos, a Câmara Municipal, por maioria absoluta (metade mais um dos vereadores da Câmara), poder rejeitar o veto, produzindo os mesmos efeitos que a sanção. Como conseqüência, o projeto será novamente encaminhado ao Prefeito para que ele o promulgue.

    Como se vê, a última palavra é do Poder Legislativo.

    ResponderExcluir
  3. Certo. Amigo, quero informar que concordo com você, mas o que eu quis dizer é que para que seja criada a casa de estudantes é preciso levar em conta as condições do município. Sabe lá se Gentio do Ouro tem condições de manter uma casa de estudantes?

    Sou cientista político e acho que dentro dos próximos anos isso não vai acontecer de forma alguma.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Meu caro, é papel dos legisladores apreciar a benéfica dos projetos e se o município tem condições para comportar ou não.

    Na objetividade do vosso questionamento subentendo que todos esses requsitos foram levados em consideração umas vez que, tal projeto segundo conformidade geral entre a maioria das opinões dos vereadores, teve a sua aprovação.

    No meu singelo entendimento referente ao vosso questionamento é que os vereadores de Gentio do Ouro não são eruditos além do disprovimento total da racionalidade.

    Por fim, resta saber até quando irá perdurar essa emudecia do poder legislativo e execultivo do Município de Gentio do Ouro.

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente, tudo em nosso país sustenta a morosidade no que tange, principalmente, a concretização ou aplicabilidade de projetos e leis. Contudo, os legisladores tem a função de elaborar leis e aprová-las ou não e isso dentro de sua possível concretude(recursos necessários para tal) tendo, então, o Executivo a função de executar o projeto já que este foi aprovado pela Casa Legislativa e não obteve recusa do mesmo dentro do prazo estabelecido por lei.
    Porém a casa de estudantes em Salvador ainda não saiu do papel e, enquanto isso, nós, estudantes, pagamos altos aluguéis, o que reduz financeiramente o investimento em materiais de estudo; sendo que outros moram de favor.
    Trabalho com responsabilidade e competência e investimento no que é crucial, é isso que esperamos dos políticos de Gentio do Ouro.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Neste espaço não serão permitidos comentários que contenham palavras de baixo calão, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. A equipe do Blog ConeXão Gentio do Ouro reserva-se no direito de apagar tais mensagens.